Final Fantasy Wiki
Advertisement

Leve a Aerith para algum lugar seguro.
—Últimas palavras da Ifalna.

Ifalna foi a última Cetra puro-sangue remanescente que se apaixona pelo Professor Gast e se torna mãe dando a luz à uma bebê que a chamam de Aerith em Final Fantasy VII e Final Fantasy VII Remake. Ela é vista em sequências de flashback: durante a história, Elmyra Gainsborough conta a Cloud Strife e seus amigos como ela adotou Aerith, e por meio de registros de vídeo encontrados em uma casa abandonada em Icicle Inn.

Perfil[]

Aparência[]

Ifalna se parece com sua filha, com olhos verdes esmeralda, longos cabelos castanhos e franja (embora Ifalna use os dela soltos). Ifalna usa um vestido vermelho de mangas compridas com uma faixa roxa em volta da cintura e sapatilhas vermelho-escuras.

Personalidade[]

Ifalna ama sua filha e deseja que ela fique segura, mesmo em um mundo que só quer explorar as duas.

História[]

Entre 24 e 28 anos atrás, o professor Gast Faremis partiu em uma peregrinação para buscar informações sobre Jenova e os Cetra, também conhecidos como os Ancients. Ele conheceu Ifalna, uma das últimas Cetra, e a levou para Icicle Inn, no continente norte, para um estudo mais aprofundado. Gast ajudou Ifalna a escapar da Companhia de Energia Elétrica Shinra quando ele saiu da empresa.[1]

Ifalna confiou seu conhecimento de Cetra, Weapons e Jenova (também conhecida como a "Calamidade do céu") a Gast, que gravou essas conversas. Os dois se apaixonaram e conceberam uma filha, sem o conhecimento da Companhia Shinra. Eles permaneceram escondidos durante a gravidez, e Gast chamou sua filha de Aerith. Vinte dias após seu nascimento, o Professor Hojo localizou a família e exigiu que Gast entregasse Ifalna e sua filha. Quando Gast resistiu, ele foi baleado pelos capangas de Hojo e Ifalna e Aerith foram realocadas para um laboratório da Shinra.

Morte da Ifalna.

Mãe e filha foram mantidas prisioneiras por sete anos, durante os quais Ifalna deu duas coisas para sua filha: a Matéria Branca e o conhecimento de como usá-la para invocar o Holy. Ifalna escapou com Aerith, mas foi mortalmente ferida. Nos degraus da estação das favelas do Setor 7, ela confiou Aerith a uma mulher próxima, Elmyra Gainsborough, e morreu devido aos ferimentos.

Em Final Fantasy VII Remake, o Professor Hojo revela que a Shinra salvou o cadáver de Ifalna, com suas células sendo extraídas de cabelo, pele, ossos e órgãos internos para a pesquisa sobre os Antigos.

Enquanto sob a custódia da Shinra, Aerith e sua mãe foram mantidas em um quarto equipado o suficiente para as necessidades básicas (uma cama, um banheiro, etc.). Surpreendentemente, elas quase foram tratadas como convidadas, com Aerith até recebendo giz de cera, que ela costumava desenhar nas paredes da sala. De acordo com Aerith, os cientistas da Shinra vinham até a sala e levavam sua mãe todos os dias, deixando-a sozinha.

Curiosidades[]

Arte conceitual de Tetsuya Nomura.

Na arte conceitual da Ifalna de Tetsuya Nomura, ela teria 29 anos. Aerith afirma que podia ouvir a voz de sua mãe quando criança e que, embora esperasse que isso fosse embora, isso "nunca parou". No entanto, Ifalna não desempenha nenhum papel adicional no jogo, e é um dos poucos personagens falecidos conectados a Aerith que não aparece em Hoshi o Meguru Otome.

Ifalna é mencionada em Crisis Core -Final Fantasy VII-: Um cientista dentro do Edifício da Shinra lamenta sua morte, e é descoberto que está trabalhando contra Shinra. Ele é preso por Kunsel.

Em Final Fantasy VII Remake, Ifalna aparece em um flashback em uma história contada por Elmyra. As reminiscências são em tom sépia, mas em Final Fantasy VII Remake Intergrade, as verdadeiras cores da cena podem ser restauradas ao usar o modo de fotografia.

Galeria[]

Etimologia[]

O nome de Ifalna em japonês (イファルナ, Ifaruna?) é um anagrama da transliteração de "final" (ファイナル, fainaru?). Isso se refere a ela ser a última Cetra.

Referências[]

Advertisement