Final Fantasy Wiki
Advertisement

A Guerra Dragonsong é um conflito militar em Final Fantasy XIV entre a Holy See of Ishgard e a dracônica Horda Dravaniana, disputada a mil anos e dominando as culturas e estilos de vida de ambos os estados. A guerra tem sido travada desde que a Holy See existe.

De acordo com a Holy See, no início da Sexta Era Astral, o lendário Rei Thordan partiu para construir uma ponte através do Mar das Nuvens, o que se tornaria a cidade-estado de Ishgard. Thordan alegou que ele havia sido escolhido por Halone, a furiosa, mas foi abatido pelo grande ancião Nidhogg. O filho de Thordan, Haldrath, exigiu vingança removendo o olho de Nidhogg, e Ishgard esteve em guerra com o povo de Nidhogg, os Dravanianos, desde então. Nidhogg liderou sete assaltos contra Ishgard, embora a cidade-estado tenha sobrevivido a todos eles.

A Guerra Dragonsong resultou na exclusão de Ishgard do resto de Eorzea: embora Ishgard lutasse na Guerra de Outono contra Ala Mhigo, eles se recusaram a se juntar à Aliança Eorzeana para se concentrar em sua cruzada contra a Horda Dravaniana. Como tal, eles não estavam presentes nem na Batalha de Carteneau nem na Operação Archon, embora o primeiro causasse danos ambientais drásticos a Coerthas. A Horda Dravanians foi similarmente retrocedida pela perda do Wyrmking, Midgardsormr, na Batalha dos Céus de Silvertear.

Início da Guerra[]

Alerta de spoiler: Detalhes sobre a história a seguir. (Pular seção)

Santa Shiva com seu amado Hraesvelgr.

Na verdade, a guerra foi desencadeada pelo assassinato de Ratatoskr, irmã de Nidhogg. No início da Sexta Era Astral, as tribos que viviam em Coerthas viviam em paz com Dravania, graças ao sacrifício que Shiva fez por amor a Hraesvelgr. A paz entre os homens e o dragões pode ter sido incomum, considerando que a guerra entre Meracydia e o Império Allagan levou à servidão de Tiamat e Bahamut, e aparente a destruição mútua de ambos os estados e da Quarta Era Umbral.

Essa paz foi destruída pelos Ascians, que revelou ao rei Thordan que o olho de um dragão é uma fonte de imenso poder. Thordan e seus Doze Cavaleiros assassinaram Ratatoskr para obter seus olhos. Depois de rasgar e consumir os olhos, os Doze Cavaleiros tornaram-se excepcionalmente poderosos, mas foram atacados por Nidhogg, que prometeu se vingar. Thordan e quatro de seus cavaleiros caíram na batalha contra Nidhogg, mas Haldrath, filho de Thordan, derrotou Nidhogg, arrancando seus olhos.

Thordan e seus Doze Cavaleiros depois de trair Ratatoskr.

Quatro dos Cavaleiros sobreviventes fundaram as Casas Nobres de Ishgard, mas Haldrath abdicou do trono, acabando com a monarquia por remorso. Ele se tornou o primeiro Azure Dragoon, lutando contra as tentativas de vingança dos Dravanianos. Posteriormente Haldrath foi enterrado com o olho direito de Nidhogg, e o olho esquerdo foi empunhado pelos Azure Dragoon posteriores em sua defesa de Ishgard.

Enquanto isso, Hraesvelgr curou o moribundo Nidhogg lhe dando o olho direito. Enquanto o espírito da Shiva impedia Hraesvelgr de entrar na guerra contra os membros sobreviventes dos Doze Cavaleiros, seu horror pela traição de Ratatoskr levou-o a ajudar Nidhogg em sua busca por vingança.

A Holy See de Ishgard finalmente apagou a maioria desses detalhes; de acordo com sua revisão da história, Thordan era um nobre e culpado de nenhum crime quando foi morto por Nidhogg em uma batalha de uma semana, Haldrath apenas perfurou o olho esquerdo de Nidhogg, e Shiva era uma herege perigosa que cometeu o pecado mortal de se deitar com dragões.

Batalhas Históricas[]

No milênio seguinte, Nidhogg alternou entre sete períodos em que esteve acordado e atacou Ishgard, e períodos em que ele estava dormindo e resultou em um cessar-fogo. Enquanto a Horda Dravaniana poderia ter derrotado Ishgard, eles preferiram atacar a cidade várias vezes, mas nunca deixaram seus moradores da miséria, para garantir que os descendentes dos Doze Cavaleiros sofressem por muitas gerações, como o retorno da morte de Ratatoskr.

Durante seu sétimo ataque, c. 1557 da Sexta Era Astral, Nidhogg liderou a Horda Dravaniana contra o Azure Dragoon Alberic Bale. Depois de três dias de batalha na aldeia de Ferndale, Alberic temia que ele caísse sob o controle de Nidhogg e renunciou ao título de Azure Dragoon, assim como aos olhos de Nidhogg. Como resultado, Alberic ficou impotente para impedir que os Dravanianos destruíssem a cidade. O único sobrevivente, Estinien Wyrmblood, foi treinado por Alberic para se tornar o próximo Azure Dragoon e vingar-se contra Nidhogg pelas mortes de sua família em Ferndale.

Nidhogg retornou ao seu sono após a batalha de Ferndale. No entanto, a Horda Dravaniana não foi deixada sem líder, como Midgardsormr, o Pai dos Dragões, reuniu-os em 1562 da Sexta Era Astral contra um inimigo ainda maior do que a Holy See de Ishgard: o |Império Garlean, que estavam preparando seu ataque a Eorzea. A guerra entre as cidades-estados eoreanas e os Garleans não estava diretamente ligada à Guerra Dragonsong, mas os dois conflitos alimentaram-se mutuamente. A Horda derrotou o Império profundamente na Batalha dos Céus de Silvertear, embora Midgardsormr tenha sido morto pelos próximos quinze anos.

Despertar de Nidhogg[]

Em 1572, a guerra entre a Aliança Eorzeana e o Império Garlean finalmente chega ao auge na Batalha de Carteneau. Embora Ishgard não participe da batalha, eles aparentemente foram arruinados por ela, já que o dano ambiental resultante da Sétima Era Umbral transforma Coerthas em uma terra de inverno eterno.

Cinco anos depois da Sétima Era Umbral, Nidhogg começa a despertar para retomar sua cruzada contra os ishgardianos agora congelados. Antes de seu despertar, Estinien foge de Ishgard com o Olho, esperando chamar a atenção de Nidhogg para longe da Holy See e para si mesmo. Um aventureiro persegue Estinien, e os dois consideram se tornar aliados contra Nidhogg, mas Estinien, consumido pela ira do dragão, se vira contra o aventureiro e Alberic, e depois ser derrotado os deixa aparentemente mortos.

Pouco depois, as facções heréticas começam a ganhar poder. Um em particular, alguns saqueadores, liderado por uma mulher chamada "Iceheart", começa a lançar ataques contra caravanas comerciais em Coerthas, resultando em vítimas civis significativas. Eles eventualmente obtêm cristais suficientes para invocar Shiva, que eles afirmam ser seu santo padroeiro, para o corpo de Ysayle. Eles também aprendem com Hraesvelgr que, como todos os Ishgardianos são descendentes dos DOze Cavaleiros, eles têm poderes concedidos pelos olhos de Ratatoskr: ou seja, após a exposição ao sangue do dragão, eles se transformam em aevis.

Midgardsormr acorda para se juntar ao coro.

O aventureiro e seu grupo, agora conhecido como o Guerreiro da Luz, derrotam Shiva em Akh Afah Ampitheatre. Mais tarde, eles são enviados para investigar o "crescente coro" de dragonsong no Keeper of the Lake, que acaba sendo causado pelo despertar de Nidhogg. Enquanto isso, os Guerreiros da Luz testemunham que Midgardsormr foi despertado do sono para se juntar ao coro de Nidhogg.

O canto do dragão de Nidhogg pede um ataque contra Ishgard, que é interrompido por uma intervenção armada dos Aliados. No entanto, o ataque quase leva à destruição de Ishgard, por causa da sabotagem de Ysayle do Colar de Daniffen, a última defesa de Ishgard contra os dragões que pousam diretamente em sua cidade.

Ishgard revida enviando um grupo secreto de improváveis ​​aliados; Estinien, Ysayle, o Guerreiro da Luz e Alphinaud Leveilleur dos Scions of the Seventh Dawn para tentar um acordo entre o homens e o dragões. O grupo consegue formar uma aliança com os dragões de Anyx Trine depois de derrotar seu inimigo mortal, o primevo avana, em Thok ast Thok, mas enquanto subia para as Churning Mists para tratar com Hraesvelgr, eles são atacados e forçados a matar o companheiro de Nidhogg, Tioman, no topo da montanha sagrada de Sohm Al, arruinando qualquer chance que eles tivessem de forjar a paz. No entanto, Estinien e o Guerreiro da Luz aproveitam a oportunidade para perseguir Nidhogg até sua toca, o Aery, e assassiná-lo com seu próprio olho.

A Guerra Dragonsong é momentaneamente interrompida pela morte de Nidhogg, mas depois das mortes de Thordan VII e da Heavens' Ward; derrubados pelo Guerreiro da Luz após tentar usara técnica ascian de invocar primals e o olho direito de Nidhogg para se tornar o Rei Thordan e seus Doze Cavaleiros, Estinien chega a possuir os dois olhos de Nidhogg. Com os dois olhos unidos, o ancião é capaz de possuir Estinien e reconstituir seu próprio corpo. Embora Aymeric de Borel pretenda fazer as pazes com os Dravanianos como o novo líder de Ishgard, Midgardsormr o avisa que Nidhogg acabaria por retomar a guerra com aqueles que ainda eram leais a ele; agora que ele tem os dois olhos, ele está mais ameaçador do que nunca.

A revolução em Ishgard complica as coisas, embora Sor Aymeric de Borel tenha algumas vitórias diplomáticas: Ishgard se junta formalmente à Aliança Eorzeana e os Dravanianos de Anyx Trine concordam com a paz. Fundamentalistas incapazes de aceitar que Thordan I foi culpado em iniciar uma tentativa da Guerra Dragonsong de assassinar Aymeric e fazer reféns no Vault, mas Aymeric e os reféns sobreviveram devido à intervenção dos Scions e Anyx Trine.

O Coro Final[]

Sombra de Nidhogg

Me escutem, todos vocês! O refrão final está próximo, e todos serão responsabilizados! Todos vão se banhar nas chamas da retribuição! Até a vinda daquele dia, olhe em seus pecados e se desesperem! Porque ninguém escapará da minha ira! Ninguém deve escapar minha vingança!
—Nidhogg

Uma conferência de paz realizada em Falcon's Nest, entre Ser Aymeric e Vidofnir é eventualmente derrubada pelo próprio Nidhogg. Usando a forma do Azure Dragoon Estinien, seus olhos em sua carne, Nidhogg ataca Vidofnir como um aviso e declara a todos os ishgardianos que o coro final da guerra começará em breve. Quando o grande ancião muda para sua verdadeira forma e voa, a conferência termina com os participantes cantando "Morte a Nidhogg!"

Percebendo que nem mesmo o Guerreiro da Luz poderia sobreviver à ira de Nidhogg, agora que ele empunha os dois olhos, Aymeric os envia para se encontrar com Hraesvelgr. Midgardsormr convence Hraesvelgr a se voltar contra seu irmão cheio de ódio, que concorda em lutar por Ishgard.

A batalha final da guerra acontece no Steps of Faith, como a Horda, liderada pelo próprio Nidhogg, lançando um ataque total contra o que resta das defesas de Ishgard. O duelo entre Nidhogg e Hraesvelgr quase destrói a ponte, mas quando Hraesvelgr cai no chão, gravemente ferido, ele transfere o poder de seu olho para o Guerreiro da Luz, que mata Nidhogg e, com a ajuda dos fantasmas de Ysayle e Haurchefant Greystone, livram Estinien de seu controle, terminando a guerra.

Os spoilers terminam aqui.
Advertisement