Final Fantasy Wiki
Advertisement

Eu sempre pensei que este planeta era tão grande. Mas olhando para o espaço, percebi que é tão pequeno. Estamos apenas flutuando no escuro. ......meio que faz você se sentir impotente. Além disso, Sephiroth apodrece dentro dele como uma doença. É por isso que digo que este planeta ainda é uma criança. Uma criança doente e tremendo no meio desse imenso universo. Alguém tem que protegê-lo. Você me entendeu? Esse alguém somos nós.
—Cid Highwind

Gaia, conhecido mais comumente como Planeta e também escrito Gaea, é o nome do mundo em que a compilação de Final Fantasy VII ocorre. O estudo da planetologia postula que o próprio planeta é um organismo vivo e pode ser sensível até certo ponto.

Perfil[]

Espaço[]

Simulação de Bugenhagen do Sistema Solar.

O planetário de Bugenhagen mostra os planetas do sistema solar e implica que Gaia é o planeta no lugar da Terra, enquanto o Supernova de Sephiroth nas versões após o lançamento japonês original, nomeia especificamente os outros planetas igual ao nosso sistema solar. Gaia tem uma lua, um pouco menor em tamanho que o Meteoro.

Geografia[]

Gaia é composta de três continentes sem nome: um no leste, um no oeste e um no norte. Outras grandes ilhas incluem a ilha de Mideel ao sul do continente oriental, parte de uma longa cadeia de ilhas, uma grande ilha florestada que mantém o Templo dos Antigos no sudoeste do continente oriental e uma longa ilha de Wutai a oeste do continente ocidental que abriga a aldeia de Wutai. A maior parte de Gaia tem um clima temperado, com grandes planícies gramadas divididas por montanhas.

A região de Icicle que ocupa o continente norte é composta por uma enorme planície de gelo conhecida como Grande Geleira. Na ponta norte da massa de terra está a gigantesca Cratera do Norte que possui uma caverna conhecida como Caverna do Norte, que leva às entranhas de Gaia. O mais proeminente deserto está no continente ocidental abaixo do Gold Saucer. Pântanos podem ser encontrado no continente oriental em frente à Mina de Mythril.

Natureza[]

Lifestream.

Gaia é um organismo vivo do qual todas as suas criaturas vivas nascem e para onde retornam após a morte. Seu sangue vital é o lifestream, um fluxo de energia que contém todo o conhecimento de todas as criaturas que já viveram nele. Gaia tem uma mente própria e humanos com poderes especiais, chamados Cetra, podem falar diretamente com Gaia. Gaia cria protetores chamados Weapons para serem invocados sempre que parecer ameaçado. O mais poderoso deles, o Omega, pode transportar o lifestream de Gaia para o cosmos quando Gaia morre inevitavelmente como todos os organismos. Minerva parece ter uma conexão com a lifestream, aparentemente sendo a personificação dela, mas isso não é aprofundado.

Em Final Fantasy VII Remake, os Múrmurios são seres enviados pelo planeta para garantir que determinado destino aconteça.

Cultura[]

Existem três raças racionais conhecidas em Gaia: os Cetra e os seres humanos, e a espécie de Red XIII, que têm expectativa de vida muito mais longa, mas nunca foram conhecidas por construir civilizações, existindo apenas em pequeno número. Moogles existem como criaturas lendárias. Fora do culto a Gaia em si e do culto de Wutai à invocação Leviathan, nenhuma outra religião estabelecida é conhecida, embora exista uma igreja nas Favelas de Midgar. O antigo épico, LOVELESS menciona uma deusa. Existem dialetos nas principais cidades do mundo.

O calendário do mundo é o mesmo que o calendário gregoriano do mundo real, com doze meses com os mesmo nomes e 365 dias. Final Fantasy VII ocorre no final de 0007, início de 0008, cerca de dez anos após a data de seu lançamento no mundo real. Há um dia de celebração no final de dezembro semelhante ao Natal. O mundo está dividido em fusos horários, já que os trens de Midgar são executados no horário padrão de Midgar.

Gaia é moderna com televisões, celulares, carros, aviões e comodidades modernas que requerem fontes de energia, como energia mako. Antes do mako, a cidade de Corel era exportadora de carvão e, depois do mako, as pessoas retornaram aos combustíveis fósseis. Somente as grandes cidades desfrutam dos benefícios da alta tecnologia, enquanto as cidades menores ficam presas em um estado menos desenvolvido. Graças ao transporte fácil, várias cidades são áreas turísticas, como Gold Saucer, o resort de Wutai Village e as pistas de esqui de Icicle Inn. Durante a crise do Meteoro a humanidade envia um foguete tripulado para o espaço. Exércitos e frotas modernas de aeronaves também foram demonstradas.

História[]

Alerta de spoiler: Detalhes sobre a história a seguir. (Pular seção)

História antiga[]

Dois mil anos atrás, Gaia era o lar de um antigo grupo nômade de pessoas chamadas Cetra, que podiam se comunicar com o próprio planeta. Um dia, um ser extraterrestre colidiu com o continente do norte, causando uma ferida maciça na superfície de Gaia que ficaria conhecida como Cratera do Norte. O alienígena tomou a forma de um Cetra e enganou seus entes queridos a baixar a guarda. Ele injetou suas células nos Cetras, torcendo-as e corrompendo-as, até mesmo transformando-as em monstros.

O alienígena destruiu a maioria dos Cetra até que o restante deles a selou. Humanos, uma ramificação dos Cetra que abandonaram seus caminhos nômades e construíram lares permanentes, sobreviveram amplamente à calamidade e se tornou a raça dominante em Gaia. Os Cetra, agora chamados de Antigos pelos humanos, foram reduzidos a quase nada além de lendas, os únicos sinais de sua existência sendo as ruínas chamadas de Cidade Esquecida no continente norte.

Com o tempo, o planeta reuniu e emitiu uma massa de Energia Espiritual ao redor da Cratera do Norte para curar a ferida. Como a maioria dos Cetras foram mortos, não havia muitos para cultivar novas vidas, e assim a ferida está se cicatrizando lentamente e mesmo após 2.000 anos.

A ascensão da Shinra[]

Shin-ra logo.jpg

Uma ex-fabricante de armas, a Companhia de Energia Elétrica Shinra dirigida pelo Presidente Shinra, descobriu uma maneira de aproveitar o lifestream de Gaia para criar energia mako e os humanos construíram maravilhas mecânicas titânicas, como a metrópole de Midgar no continente oriental. A colheita de mako suga a força vital de Gaia, e o mundo começa a morrer lentamente com os arredores de Midgar se tornando uma zona morta. Contra as crenças de muitos planetólogos, Shinra postula que a energia mako é um recurso infinito.

Em sua busca por mais energia mako, Shinra espera encontrar a lendária terra prometida da lenda Cetra e caça pelos remanescentes dos Cetras. Durante sua busca, eles exumaram a criatura alienígena selada e deram o nome de Jenova. Pensando que Jenova fosse um "Antigo", Shinra iniciou o Projeto Jenova para criar um humano com os poderes dos Cetra que poderiam levar a companhia à terra prometida. A empresa cresceu de uma mera corporação para o governante “de fato” do mundo e o único estado que continua a se opor a Shinra foi Wutai. Após a Guerra de Wutai, Shinra assumiu o território também, e detém o controle completo sobre Gaia.

Após a conquista de Wutai pela Shinra, duas ameaças separadas pareciam se opor ao seu governo. Avalanche, um exército eco-terrorista, quer destruir a Shinra e salvar Gaia da ameaça representada pela energia Mako. Um comandante de Avalanche chamado Fuhito trai a organização e invoca um monstro conhecido como Zirconiade. Um grupo de desertores shinra dos Turks, uma força secreta da shinra, derrota Zirconiade nas favelas de Midgar. Ao mesmo tempo, Genesis Rhapsodos, um membro das forças especiais da Shinra, um SOLDIER e um filho do Projeto Jenova, também desertou da Shinra e liderou um exército de suas cópias para combater a corporação e seus antigos amigos da SOLDIER em sua própria guerra.

Durante tudo isso Sephiroth, o "filho" de Jenova e o mais forte de todos os SOLDIERs, fica louco e destrói a cidade de Nibelheim. Um guarda da Shinra chamado Cloud Strife assiste a sua cidade natal queimar e enfrenta Sephiroth no reator de mako do local. Sephiroth cai na lifestream e é dado como morto. Mais tarde, o Genesis é derrotado por um SOLDIER chamado Zack Fair que foi capturado pela Shinra e usado em novos experimentos.

Meteoro[]

Meteoro pairando sobre o planeta.

Cinco anos após ser derrotado no Reator de Nibel, Sephiroth retorna dos mortos exercendo sua vontade de dentro do lifestream. Tomando o corpo de Jenova e forçando-a à sua forma, Sephiroth mata o Presidente Shinra. Rufus Shinra sucede ao pai e vai atrás de Sephiroth. Cloud Strife e um grupo de amigos seguem Sephiroth por Gaia, entre eles a última Cetra sobrevivente, Aerith Gainsborough.

Durante a busca, Sephiroth mata Aerith. O objetivo de Sephiroth é usar a Black Materia para convocar o Meteoro para infligir uma ferida maciça em Gaia, e assumir o controle do lifestream que Gaia convocaria para se curar.

Enfrentando a destruição, Gaia chama seus protetores, as Weapons, mas eles não conseguem parar Sephiroth e, em vez disso, destroem o Prédio da Shinra acabando com o governo da Shinra. Cloud e seu grupo derrotam Sephiroth, mas quando o Meteoro acelera em direção a Midgar, ele é interrompido pelo feitiço definitivo de Magia Branca, Holy, pelo qual Aerith havia rezado antes de sua morte. As forças que colidem destroem Midgar e parte da área circundante, e durante o confronto o lifestream brota e empurra o Meteoro para o espaço, permitindo que Holy o destrua. Este evento é conhecido como a "Queda do Meteoro" pelos sobreviventes.

Pós-Queda do Meteoro[]

Omega Weapon.

Midgar terminou como a capital mundial. Shinra é substituída pela World Regenesis Organization (WRO) com financiamento do ex-presidente da Shinra, Rufus. Dois anos após a derrota de Sephiroth e Jenova, os restos de seu poder chegam ao mundo como a Geostigma, uma praga sobre a humanidade. Três "pedaços de Sephiroth" aparecem, procurando os restos de Jenova para reviver seu "irmão mais velho". Kadaj, o líder, se funde com as partículas de Jenova nas ruínas de Midgar, recriando Sephiroth para trazer a destruição de Gaia. Cloud luta contra o Sephiroth e derrota seu velho inimigo mais uma vez.

Um ano depois, a Deepground, o último segredo de Shinra, ataca a humanidade. Deepground era uma organização secreta com sua sede abaixo de Midgar. Seu retorno marca um conflito entre ela e a WRO. Vincent Valentine, um membro do grupo de Cloud e alvo da Deepground, desce profundamente em Midgar e derrota os líderes da Deepground, mas a Deepground invoca o Omega Weapon. Vincent se transforma em Chaos e derrota Omega, salvando Gaia.

Os spoilers terminam aqui.

Locais[]

Continente Oriental[]

  • Midgar – Controlado e construído pela corporação Shinra. Uma grande cidade dividida em setores. Abaixo do gigantesco prato que sustenta o QG da Shinra, as pessoas vivem em favelas. Dentro da cidade existem muitos sub-locais:
    • Setor 0
      • Prédio da Shinra
    • Setor 1
      • Reator do Setor 1
    • Setor 4
    • Setor 5
      • Reator do Setor 5
      • Igreja do Setor 5
    • Setor 6
      • Mercado Murado
      • Honeybee Inn
    • Setor 7
    • Setor 8
      • Sister Ray
    • Via Expressa de Midgar
  • Kalm – Cidade perto de Midgar.
  • Fazenda de Chocobo
  • Mina de Mythril – As pessoas de Kalm costumavam extrair mythril nas minas, mas devido ao advento da Energia Mako, as minas foram abandonadas.
  • Fort Condor – Um posto avançado anti-Shinra, ao sul das Minas de Mythril.
  • Junon – Base militar da Shinra.
    • Reator Subaquático de Junon
  • Healen Lodge – Uma clínica para pacientes com Geostigma em Final Fantasy VII: Advent Children.
  • Edge – Após a destruição de Midgar, Edge foi construída ao norte dos restos mortais de Midgar.
  • Sede da WRO (apenas em Dirge of Cerberus -Final Fantasy VII-) – A sede da Organização WRO, localizada fora dos resíduos de Midgar.

Continente Ocidental[]

  • Costa del Sol – Ponto turístico.
  • Mt. Corel – O primeiro Mako Reactor foi construído aqui.
  • Corel do Norte – Uma favela que surgiu depois que a Shinra destruiu o Corel original.
  • Gold Saucer – Um parque de diversões construído sobre a cidade destruída de Corel.
  • Prisão de Corel – A cidade velha de Corel mais tarde se tornou uma prisão no deserto.
  • Gongaga - Uma cidade remota danificada por um reator que Mako explodiu.
  • Cosmo Canyon – O centro do estudo do Planeta e Lifestream.
  • Nibelheim – Uma cidade remota arrasada por Sephiroth, mas depois reconstruída.
    • Mansão da Shinra
  • Mt. Nibel – Cordilheira com abundantes depósitos de Mako.
  • Reator de Nibel - Um reator no topo do Mt. Nibel.
  • Rocket Town – O local do programa espacial extinto da Shinra.
  • Ancient Forest – Uma floresta misteriosa no topo de um platô.
  • Caverna da Lucrecia – Local de descanso de Lucrecia Crescent.

Continente Norte[]

Todo o continente do norte fica na área do Icicle.

  • Bone Village – Local de escavação.
  • Floresta Adormecida – Uma floresta encantada que não pode ser atravessada sem a Lunar Harp.
  • Vale de Corel – Um vale além da floresta adormecida.
    • Cidade Esquecida – O único assentamento intacto conhecido das Cetra.
    • Caverna no Vale de Corel - Uma caverna no vale de Corel que leva aos campos de neve.
  • Icicle Inn – O assentamento mais setentrional do mundo.
  • Grande Geleira – Um vasto campo de neve.
  • Cratera do Norte – Uma cratera causada por um meteorito caído milhares de anos atrás.
    • Penhasco de Gaea – Os penhasco que compõem o lado da cratera norte.
    • Whirlwind Maze – Situado dentro da Cratera do Norte.
    • Caverna do Norte – Caverna dentro da Cratera Norte, que leva a Gaia.
  • Grande Caverna das Maravilhas – Implícita que seja uma caverna situada ao lado da Caverna do Norte, provavelmente na Cratera do Norte (apenas em Crisis Core -Final Fantasy VII-).
  • Casa do Sábio de Chocobos – A casa de um especialista em chocobo.
  • Modeoheim (Crisis Core -Final Fantasy VII-) – Uma cidade industrial remota.

Outros locais[]

  • Templo dos Antigos – Local da Black Materia.
  • Mideel – Uma cidade tropical onde o Lifestream fica perto da superfície.
  • Vila de Banora – Terra-natal de Angeal Hewley and Genesis Rhapsodos em Crisis Core -Final Fantasy VII-).
  • Wutai – Os restos da nação Wutai agora servem principalmente como um resort turístico.
  • Ilha dos Goblins – Uma ilha longínqua habitada por Goblins.
  • Ilha da TábulaKnights of the Round pode ser encontrado aqui. Só pode ser acessado por um chocobo dourado.
  • Cavernas de Materia – Um número de cavernas onde a energia de Mako se cristalizou em Materia ao longo de muitos anos.
  • Fundo do mar
    • Gelnika afundado – Avião que foi atacado por uma Weapon e afundou no fundo do oceano. Só pode ser acessado através de um Submarino.
  • Navio de carga da Shinra - Navio de carga que vai entre Junon e Costa Del Sol.
  • Subconsciente de Cloud

Por trás das cenas[]

Antes do lançamento de Final Fantasy VII[]

Casa perto de Kalm.

Uma imagem de pré-lançamento de Final Fantasy VII mostrando a Highwind no mapa do mundo revela uma casa que não existe no jogo final, situada entre Kalm e a Fazenda de Chocobo. Não se sabe se a casa foi colocada lá apenas para a captura de tela, ou se era um local planejado para o jogo.

Conexão com Spira[]

Em Final Fantasy X-2, a Square Enix deu dicas de uma conexão entre Gaia e Spira, com Shinra e Rin discutindo o potencial do Farplane como uma fonte de energia, embora Shinra declare que a tecnologia para refinar com segurança e sucesso a energia do Farplane não seria desenvolvida por gerações. Essa conexão é confirmada no guia Final Fantasy X-2 Ultimania, onde o escritor de cenário Kazushige Nojima afirma que Rin financiaria os esforços de Shinra para refinar a energia do Farplane usando os restos de Vegnagun, mas falhou. Seus descendentes, mil anos depois, quando as viagens espaciais fossem desenvolvidas, viajariam para Gaia e fundavam a Companhia de Energia Elétrica Shinra.[1]

Em uma entrevista ao site francês sobre Final Fantasy, Finaland, Nojima comentou o link da seguinte maneira: "Esta história é uma piada. Quando criamos o FFX-2, queríamos criar algo, um mundo totalmente novo. Só que quando o criei, percebi que ele se parecia muito com o FFVII... Depois, quando foi oficialmente dito no Ultimania, levou uma proporção completamente gigantesca quando era apenas uma piada."[2]

Nome[]

O nome "Gaia" não foi atribuído ao planeta em nenhuma mídia oficial do Final Fantasy VII, embora o termo tenha sido usado no nome do local Gaea's Cliff e no nome do inimigo Gaea Malboro em Crisis Core -Final Fantasy VII-. Tem sido escassamente usado em materiais promocionais da série. O primeiro uso do nome veio em um material promocional para o Final Fantasy VII: Advent Children, que se referia ao planeta como Gaia. No site oficial de Dirge of Cerberus -Final Fantasy VII-, o jogo da forca na seção de tributo do O site refere-se ao cenário do jogo como o planeta Gaia. Em 2012, a Square Enix lançou seu site na América do Norte para o Final Fantasy 25th Anniversary, que introduziu os jogos Final Fantasy numerados; na biografia do mundo de Final Fantasy VII é identificado como Gaia. Final Fantasy All the Bravest também se refere ao planeta como Gaia na descrição do inimigo Ultimate Weapon. O troféu de platina no relançamento de Final Fantasy VII para PlayStation 4 é chamado de "Guardião de Gaia".

Apesar de ser conhecido como Gaia nesses materiais, o planeta só foi referido como (星, Hoshi?, lit. Planeta) nos lançamentos japoneses e material relacionado. O mundo é chamado de "O Planeta" no Final Fantasy VII original, mas as entradas posteriores da série eliminaram muitos dos nomes originais.

Grande parte da natureza de Gaia, como sua relação com os seres vivos, também estava no filme CGI, Final Fantasy: The Spirits Within. Essas ideias são chamadas de Teoria de Gaia.

Galeria[]

Etimologia[]

Gaia ou Gaea era a deusa ou personificação da Terra na religião grega antiga, uma das divindades primordiais gregas. Gaia era a mãe de tudo: os deuses celestes, os Titãs e os Gigantes nasceram de sua união com Urano (o céu), enquanto os deuses do mar nasceram de sua união com Pontus (o mar). A palavra grega "γαῖα" (transliterada como gaia ou gaea) é uma forma colateral de "γῆ" que significa Terra. Seu equivalente no panteão romano foi nomeado Gaia (Terra em documentos mais antigos). Isso é mencionado no Final Fantasy IX com a existência do mundo gêmeo de Gaia.

O nome mitológico Gaia foi revivido em 1979 por James Lovelock, cuja hipótese de Gaia propõe que organismos vivos e material inorgânico fazem parte de um sistema dinâmico que molda a biosfera da Terra e mantém a Terra como um ambiente adequado para a vida. Em algumas teorias de Gaia, a abordagem da Terra é vista como um organismo com funções auto-reguladoras. Essa teoria é mencionada especialmente em Final Fantasy: The Spirits Within assumindo Gaia como a alma do planeta.

Referências[]

  1. "Kazushige Nojima: '...Depois de deixar os Gullwings, Shinra recebeu enorme apoio financeiro de Rin e começou a tentar usar Vegnagun para refinar Energia Mako do Farplane. Mas, ele é incapaz de completar o sistema para utilizar essa energia em sua geração e, no futuro, quando viajar para planetas distantes se tornar possível, a Companhia Shinra é fundada em outro mundo, ou algo assim... Isso aconteceria cerca de 1000 anos depois dessa história, eu acho.'" Final Fantasy X-2 Ultimania
  2. Paris Manga : Interview Kazushige Nojima (EN) (Accessed: outubro 22, 2018) at Finaland
Advertisement