Final Fantasy Wiki
Advertisement

Ala Mhigo é uma das cidades-estados em Final Fantasy XIV. Ela está localizada ao leste de Aldenard em uma região chamada Gyr Abania entre Gridania e Garlemald. Ela compartilha suas fronteiras com Xelphatol ao noroeste.

Perfil[]

A bandeira de Ala Mhigo.
Uma cidade-estado ocupada localizada em uma região montanhosa no leste de Aldenard. A nação mergulhou no caos há vinte anos, quando suas massas se revoltaram contra a tirania do rei louco Theodoric. No entanto, sem o conhecimento de muitos, não era outro senão o Império Garlean que vinha puxando as cordas das sombras o tempo todo. Eles rapidamente começaram a assumir o controle de Ala Mhigo enquanto a anarquia reinava, e permaneceram no controle da nação nos últimos vinte anos.
—Descrição no site oficial.

As terras altas de Gyr Abania nos alcances orientais do Aldenard estiveram sob o controle de uma nação marcial conhecida como Ala Mhigo. Foi, talvez, a natureza historicamente conflituosa do território que forjou o país em uma potência militar significativa.

Mesmo que esta nação agressiva enviasse suas forças para conquistar no oeste, repeliu repetidas tentativas de invasão a partir do leste. No Ano 1557 da Sexta Era Astral, no entanto, ele finalmente caiu às incursões do Império Garlean. A partir desse momento, o país tornou-se meramente um outro território imperial sob o governo de seus usurpadores.

Embora o povo de Ala Mhigo uma vez reverência Rhalgr, o Destruidor, como seu patrono, qualquer observância religiosa foi proibida pelas autoridades que controlam a região.

História[]

Fundada em 1135 da Sexta Era Astral por Anshelm Cotter, Ala Mhigo era uma cidade-fortaleza construída ao longo das margens do Loch Seid em Gir Abania. Essa cidadela protegeria contra invasores de Ilsabard e controlaria o comércio entre Eorzea e o Oriente Próximo. Ala Mhiganos se tornaram conhecidos por suas proezas de combate e com recursos naturais limitados, sua principal exportação seria mercenários para as outras cidades-estados.

Aproximadamente 80 anos antes do jogo, as forças Ala Mhiganas sob o comando do Rei Manfred tentaram invadir Gridania em um conflito conhecido como a Guerra do Outono mas foram repelidas pelo poder combinado de Gridania, Ishgard, Ul'dah e Limsa Lominsa. Isso resultou em derramamento de sangue entre Ala Mhigo e seus vizinhos nas décadas seguintes.

Vinte anos antes do início de Final Fantasy XIV, Ala Mhigo estava envolvido em uma guerra civil contra a tirania de Teodorico, o Rei da Ruína. A instabilidade resultante levou à invasão de Gaius van Baelsar e à XIVª Legião Imperial. Enfraquecida pela guerra civil, a cidade foi derrotada pelos invasores Garleans. Aqueles que não se submeteram ao domínio imperial fugiram para o oeste e para o sul, causando o que é geralmente referido como a "terceira grande migração de Hyuran", enquanto aqueles que permaneceram ou se submeteram ao domínio imperial ou formaram a Resistência Ala Mhigana.

Ala Mhigo conseguiu manter seus talentos de engenharia. A queda de Ala Mhigo introduziu uma mudança em Eorzea, onde as quatro cidades-estados restantes organizaram uma aliança.

Versão 1.0[]

Ver também: Ala Mhigo/Legado

Ala Mhigo era inacessível na versão 1.0.

A Realm Reborn[]

Enquanto Ala Mhigo não era acessível uma grande quantidade de artes conceituais da cidade e seus arredores foram incluídas com o artbook que veio com a edição de colecionador de A Realm Reborn e produtos relacionados, tais como a trilha sonora de Before Meteor, deixando claro que a equipe de arte pretendia trabalhar na cidade em um futuro próximo.

Final Fantasy XIV: Heavensward[]

Ala Mhigo começou a entrar em foco durante os patchs "Soul Surrender" e "The Far Edge of Fate", já que as maquinações de "The Griffin" forçariam a Aliança Eorzeana a renovar o conflito militar com o império.

Final Fantasy XIV: Stormblood[]

A libertação de Ala Mhigo é um foco central da expansão Stormblood, com o cerco da própria cidade servindo como o calabouço final do 4.0.

Ala Mhigo é libertado do controle imperial após a morte de Zenos yae Galvus. As pessoas celebram sua vitória cantando o hino original de suas nações.

Em 4.1 "The Legend Returns", os Scions of the Seventh Dawn trabalham com a Resistência para reconstruir Ala Mhigo, tanto a indústria quanto o governo. Com Lyse Hext e Raubahn Aldynn guiando os procedimentos, o povo aboliu a antiga monarquia e decidiu formar uma república com autoridades eleitas, modeladas segundo a Câmara dos Comuns de Ishgard. Raubahn, tendo sido libertado dos serviços da Sultana Nanamo, torna-se o líder do exército de Ala Mhigo. Nanamo e Lolorito colaboram no restabelecimento da indústria do país, usando as riquezas recuperadas do rei Theodoric para financiar a realocação dos refugiados.

Em 4.4 "Prelude In Violet", um conselho da Aliança Eorzeana é chamado em Ala Mhigo para receber formalmente a nação recém-libertada a aliança de suas nações irmãs. Aqui, Lyse e o general Raubahn atuam como representantes e líderes "de fato" de Ala Mhigo.

Musica tema[]

The Anthem of Ala Mhigo.
Música

Ala Mhigo tem um hino que os combatentes da Resistência cantam juntos. Vários arranjos tocam em todo o cenário principal de Stormblood.

Galeria[]

Curiosidades[]

  • A queda da Ala Mhigo ocorreu 15 anos antes do início da versão 1.0, de acordo com o diálogo de uma missão (informações através de um NPC chamado, Sundhimal, durante a missão "Winds of Change"). Esta informação juntamente com o fato de o diferencial de tempo de 5 anos entre o 1.0 e ARR implicaria que Ala Mhigo tenha caído 20 anos antes do início de A Realm Reborn.
  • A maioria de todos os clãs Hyur Highlander viveram nesta cidade antes da sua queda.
Advertisement