FANDOM


Ala Mhigo é uma das cidades-estados em Final Fantasy XIV. Ela está localizada ao leste de Aldenard em uma região chamada Gyr Abania entre Gridania e Garlemald. Ela compartilha suas fronteiras com Xelphatol ao noroeste.

PerfilEditar

Ala Mhigo Flag
Uma cidade-estado ocupada localizada em uma região montanhosa no leste de Aldenard. A nação mergulhou no caos há vinte anos, quando suas massas se revoltaram contra a tirania do rei louco Theodoric. No entanto, sem o conhecimento de muitos, não era outro senão o Império Garlean que vinha puxando as cordas das sombras o tempo todo. Eles rapidamente começaram a assumir o controle de Ala Mhigo enquanto a anarquia reinava, e permaneceram no controle da nação nos últimos vinte anos.
—Descrição no site oficial.

As terras altas de Gyr Abania nos alcances orientais do Aldenard estiveram sob o controle de uma nação marcial conhecida como Ala Mhigo. Foi, talvez, a natureza historicamente conflituosa do território que forjou o país em uma potência militar significativa.

Mesmo que esta nação agressiva enviasse suas forças para conquistar no oeste, repeliu repetidas tentativas de invasão a partir do leste. No Ano 1557 da Sexta Era Astral, no entanto, ele finalmente caiu às incursões do Império Garlean. A partir desse momento, o país tornou-se meramente um outro território imperial sob o governo de seus usurpadores.

Embora o povo de Ala Mhigo uma vez reverência Rhalgr, o Destruidor, como seu patrono, qualquer observância religiosa foi proibida pelas autoridades que controlam a região.

HistóriaEditar

Fundada em 1135 da Sexta Era Astral por Anshelm Cotter, Ala Mhigo era uma cidade-fortaleza construída ao longo das margens do Loch Seid em Gir Abania. Essa cidadela protegeria contra invasores de Ilsabard e controlaria o comércio entre Eorzea e o Oriente Próximo. Ala Mhiganos se tornaram conhecidos por suas proezas de combate e com recursos naturais limitados, sua principal exportação seria mercenários para as outras cidades-estados.

Aproximadamente 80 anos antes do jogo, as forças Ala Mhiganas sob o comando do Rei Manfred tentaram invadir Gridania em um conflito conhecido como a Guerra do Outono mas foram repelidas pelo poder combinado de Gridania, Ishgard, Ul'dah e Limsa Lominsa. Isso resultou em derramamento de sangue entre Ala Mhigo e seus vizinhos nas décadas seguintes.

Vinte anos antes do início de Final Fantasy XIV, Ala Mhigo estava envolvido em uma guerra civil contra a tirania de Teodorico, o Rei da Ruína. A instabilidade resultante levou à invasão de Gaius van Baelsar e à XIVª Legião Imperial. Enfraquecida pela guerra civil, a cidade foi derrotada pelos invasores Garleans. Aqueles que não se submeteram ao domínio imperial fugiram para o oeste e para o sul, causando o que é geralmente referido como a "terceira grande migração de Hyuran", enquanto aqueles que permaneceram ou se submeteram ao domínio imperial ou formaram a Resistência Ala Mhigana.

Ala Mhigo conseguiu manter seus talentos de engenharia. A queda de Ala Mhigo introduziu uma mudança em Eorzea, onde as quatro cidades-estados restantes organizaram uma aliança.

Versão 1.0Editar

Ver também: Ala Mhigo/Legado

Ala Mhigo era inacessível na versão 1.0.

A Realm RebornEditar

Enquanto Ala Mhigo não era acessível uma grande quantidade de artes conceituais da cidade e seus arredores foram incluídas com o artbook que veio com a edição de colecionador de A Realm Reborn e produtos relacionados, tais como a trilha sonora de Before Meteor, deixando claro que a equipe de arte pretendia trabalhar na cidade em um futuro próximo.

Final Fantasy XIV: HeavenswardEditar

Ala Mhigo começou a entrar em foco durante os patchs "Soul Surrender" e "The Far Edge of Fate", já que as maquinações de "The Griffin" forçariam a Aliança Eorzeana a renovar o conflito militar com o império.

Final Fantasy XIV: StormbloodEditar

A libertação de Ala Mhigo é um foco central da expansão Stormblood, com o cerco da própria cidade servindo como o calabouço final do 4.0.

Ala Mhigo é libertado do controle imperial após a morte de Zenos yae Galvus. As pessoas celebram sua vitória cantando o hino original de suas nações.

Em 4.1 "The Legend Returns", os Scions of the Seventh Dawn trabalham com a Resistência para reconstruir Ala Mhigo, tanto a indústria quanto o governo. Com Lyse Hext e Raubahn Aldynn guiando os procedimentos, o povo aboliu a antiga monarquia e decidiu formar uma república com autoridades eleitas, modeladas segundo a Câmara dos Comuns de Ishgard. Raubahn, tendo sido libertado dos serviços da Sultana Nanamo, torna-se o líder do exército de Ala Mhigo. Nanamo e Lolorito colaboram no restabelecimento da indústria do país, usando as riquezas recuperadas do rei Theodoric para financiar a realocação dos refugiados.

Em 4.4 "Prelude In Violet", um conselho da Aliança Eorzeana é chamado em Ala Mhigo para receber formalmente a nação recém-libertada a aliança de suas nações irmãs. Aqui, Lyse e o general Raubahn atuam como representantes e líderes "de fato" de Ala Mhigo.

Musica temaEditar

The Anthem of Ala Mhigo.
Music
FFXIV Ala Mhigo Anthem

Ala Mhigo tem um hino que os combatentes da Resistência cantam juntos. Vários arranjos tocam em todo o cenário principal de Stormblood.

GaleriaEditar

CuriosidadesEditar

  • A queda da Ala Mhigo ocorreu 15 anos antes do início da versão 1.0, de acordo com o diálogo de uma missão (informações através de um NPC chamado, Sundhimal, durante a missão "Winds of Change"). Esta informação juntamente com o fato de o diferencial de tempo de 5 anos entre o 1.0 e ARR implicaria que Ala Mhigo tenha caído 20 anos antes do início de A Realm Reborn.
  • A maioria de todos os clãs Hyur Highlander viveram nesta cidade antes da sua queda.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.